Brasil mantém 89ª posição em ranking de banda larga com média de 3,4 Mbps

Share

Um estudo conduzido pela empresa de internet Akamai constatou que a velocidade média da banda larga fixa no Brasil, durante o primeiro trimestre de 2015, foi de 3,4 Mbps (Megabits por segundo). Houve crescimento em relação ao período anterior, quando a média era de 2,9 Mbps. No entanto, o Brasil manteve a 89ª posição em ranking feito pela companhia.

O ranking global de velocidade média de internet fixa continua liderado pela Coreia do Sul, com 23,6 Mbps. Após o país asiático, o estudo aponta a Irlanda (17,4 Mbps), Hong Kong (16,7 Mbps), Suécia (15,8 Mbps) e Holanda (15,3 Mbps).

Na América do Sul, o Brasil apresenta velocidade inferior a países como Uruguai (6,7 Mbps), Chile (5,7 Mbps), Argentina (4,6 Mbps), Colômbia e Peru (4,5 Mbps) e Equador (4,1 Mbps). Porém, o país ganha da Bolívia (1,5 Mbps), Venezuela (1,5 Mbps) e Paraguai (1,4 Mbps).

Picos de velocidade
Outra métrica utilizada pelo levantamento é o de velocidade pico, que consiste na análise de tráfego de 10% das conexões mais rápidas de um país ou região. Nesse quesito, o Brasil registrou 24,2 Mbps – abaixo da média mundial que é de 29,1 Mbps. No quaro trimestre, o Brasil apresentou banda de 20,2 Mbps.

Como na velocidade global, o líder é um país asiático. Cingapura detém a liderança de velocidade pico com 98,5 Mbps. Na sequência, vem Hong Kong (92,6 Mbps), Coreia do Sul (79 Mbps), Kuwait (76,5 Mbps) e Romênia (71,6 Mbps).

O estudo usa uma definição da FCC (reguladora das telecomunicações nos Estados Unidos) de 2010 de banda larga. Segundo a regra do órgão, podem ser consideradas conexões rápidas links com download igual ou superior a 4 Mbps. Por essa regra, em tese, o Brasil não entraria, pois a velocidade média é interior.

No entanto, explica a Akamai, a conexão do país pode ser considerada banda larga, pois um terço dos links de internet tem velocidade igual ou superior a 4 Mbps.

No início deste ano, a FCC mudou novamente as definições de banda larga. Para a agência reguladora norte-americana, apenas conexões com download igual ou superior a 25 Mbps podem ser consideradas rápidas.

Para a análise de dados de banda larga fixa, a Akamai diz ter monitorado 243 países ou regiões conectadas aos seus servidores. A empresa atua fazendo direcionamento de tráfego e cache (armazenamento temporário de conteúdos estáticos) para companhias que a contratam.

Banda larga móvel
No quesito banda larga móvel, o Brasil apresentou significativo crescimento de velocidade. O país saiu de 1,8 Mbps no 4º trimestre de 2014 para 2,5 Mbps nos três primeiros meses deste ano.

O líder na categoria foi o Reino Unido com 20,4 Mbps, seguido de Dinamarca (10 Mbps), Suécia, (8,9 Mbps), Eslováquia (8,4 Mbps) e Ucrânia (8,1 Mbps).

Para esse levantamento, a companhia analisou dados de 62 países ou regiões.

UOL

Share