Corretor: tenha um cliente garantido por até 10 anos

Share

O corretor de seguros pode e deve assumir o papel que lhe cabe no seguro residencial, atuando como o principal protagonista do processo que visa a fazer esse produto atingir, no Brasil, o patamar de destaque que ocupa em boa parte dos demais países. A avaliação é da Fenseg, que lançou, nesta terça-feira (01/09), em São Paulo, a segunda cartilha da série “Conhecendo seu Seguro”, com foco no seguro residencial.

O corretor de seguros pode e deve assumir o papel que lhe cabe no seguro residencial, atuando como o principal protagonista do processo que visa a fazer esse produto atingir, no Brasil, o patamar de destaque que ocupa em boa parte dos demais países. A avaliação é da Fenseg, que lançou, nesta terça-feira (01/09), em São Paulo, a segunda cartilha da série “Conhecendo seu Seguro”, com foco no seguro residencial.

A Federação pretende fazer um amplo trabalho de divulgação desse seguro junto aos corretores, com o apoio dos Sindicatos da categoria e em eventos como o 19º Congresso Brasileiro, que será realizado no mês de outubro, em Foz de Iguaçu.

Segundo a FenSeg, os números são alarmantes. Apenas 13,3% dos 68 milhões de imóveis existentes no Brasil estão cobertos pelo seguro.

Em algumas regiões, o quadro é ainda mais devastador. No Norte, o chamado “índice de penetração” (IP), que indica a relação entre número de domicílios e as unidades seguradas, é de apenas 3%. No Nordeste, não passa de 3,5%.

A situação melhora um pouco no Centro-Oeste, com IP de 10,4% e é mais confortável, embora ainda muito distanta da realidade dos países desenvolvidos, no Sul (16,6%) e Sudeste (20,5%).

Para o diretor da FenSeg, há inúmeras razões para o corretor direcionar o seu foco para o seguro residencial. “Precisamos mudar a cabeça do corretor. Esse é um produto fácil para trabalhar e o índice de renovação da apólice supera os 90%, sendo muito maior que o do seguro Auto, por exemplo”, disse o executivo, durante a apresentação da cartilha aos jornalistas.

A fidelidade do segurado também foi apontada pelo presidente da Comissão de Riscos Patrimoniais Massificados da FenSeg, Danilo Silveira, como um fator relevante, que precisa ser levado em conta pelo corretor. “Nessa carteira, o corretor tem um cliente garantido por até 10 anos. E pode comercializar outros produtos para o mesmo segurado ao longo desse tempo”, frisou.

Silveira acrescentou que, ao contrário do que ocorre no seguro Auto, “um mercado muito nervoso, com mudanças constantes nos preços”, no seguro residencial as variações são bem menos frequentes, tranquilizando o cliente e o corretor.

CARTILHA. A nova cartilha usa linguagem simples e direta e traz dicas para proteção dos segurados, do seu imóvel residencial e dos bens nele contidos. Além disso, também orienta como identificar e proceder em caso de incêndio, vazamento de gás ou água ou problemas com aparelhos eletroeletrônicos que possam causar acidentes mais graves.

Outro ponto destacado é o baixo preço do seguro residencial. A cartilha mostra tudo que esse seguro cobre por um preço tão ínfimo diante do valor do bem.

CQCS

Share