Empreendedorismo deve ser o foco do corretor de seguros

Share

A categoria dos corretores de seguros se mostra cada vez mais amadurecida, de acordo com o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo. Ele afirmou que apesar dos recuos percebidos na economia, o mercado de seguros tem um desempenho que na contramão, se mostrando bem preparado para enfrentar as adversidades, mesmo que ainda falte um caminho a ser percorrido.

“O Sincor-SP é um sindicato patronal e, por vezes, isso ficou mal compreendido. Todos aqueles que fazem parte são empresários. E nós temos batidos nessa tecla, de criar essa consciência entre os corretores de seguros”, apontou Camillo ao destacar a importância que o empreendedorismo tem para a categoria, reforçando que é importante para que o profissional se desenvolva sabendo que a sua profissão é valorizada e não está ameaçada por outras plataformas ou ferramentas. Para o presidente, o corretor é um canal já consolidado que facilita a relação entre a seguradora e o consumidor. “O corretor leva o produto das seguradoras com o entendimento e o conhecimento que nenhum outro canal conseguiria”, enfatizou.

Outra medida da nova gestão é a de tirar o sindicato do chamado “isolamento” enquanto entidade de empreendedores, buscando conversa com entidades como o Sebrae, por exemplo. Há também a necessidade de representação política do mercado, com recentes encontros com representantes do governo, como o ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos para debater a questão do Simples Nacional, que ele acredita que será sancionada pela presidente Dilma Roussef. “Em um estudo feito pela Fenacor, apenas 2% dos corretores de seguros não se enquadrariam no regime tributário do Simples Nacional. 98% das corretoras de seguros do Brasil faturam abaixo de 3,6 milhões. Estes 2% significam 65% do faturamento das corretoras de seguros, sendo estes 75% da arrecadação da corretagem para a receita”, esclareceu. Lembrando ainda a importância de o corretor continuar investindo em seu negócio e não partir para investimentos em outros ramos, como acontece com frequência.
Conec

Já nos preparativos do que é considerado o maior encontro de corretores do mundo, o Sincor-SP espera que a questão de enriquecimento profissional e pessoal seja a marca dessa edição do evento, tendo uma grade que agregue saber. Camillo agradeceu as entidades e aos seguradores que já estão participando. “É o momento de integração entre indústria e distribuição. O Conec nada mais é do que a síntese de alinhamento disso. Essa integração tem que ser perene”, afirmou.
Cerca de 3.200 inscrições já foram feitas para o evento até o momento e serão encerradas ainda em agosto.

Share