Proteste alerta para “seguro contra calote” oferecido pelos bancos

Share

Há diversas formas de “venda casada” na compra de um serviço ou mercadoria, que pode ser um empréstimo no banco ou mesmo de uma geladeira, ou até o ingresso para os Jogos Olímpicos. Essas vendas são todas proibidas por lei em vigor e o consumidor precisa sempre ser avisado claramente do procedimento, caso queira aceitar, por outros motivos, mas sem ser obrigado a isso.

Pois este é o assunto do Em Conta desta quarta-feira (8), começando pela Entrevista de Valor com a coordenadora institucional do ProTeste – Associação de Consumidores, Maria Inês Dolci. Sobre o caso específico dos bancos que, segundo reclamações recebidas, estão tentando empurrar o seguro junto com o empréstimo, por causa do alto risco de inadimplência, ela diz que a denúncia deve ser feita em dois lugares: no Banco Central, para registro, e no Procon mais perto, para receber o pagamento de volta, em dobro.

O Em Conta mostra, ainda, a reportagem de Glaucus Arruda, do Rio, sobre a venda de ingressos para os Jogos Olímpicos, no Rio, somente através de cartões de crédito, o que também é proibido e, pior ainda, se for com cartão de crédito com bandeira do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

Por isso, a gente mostra, ainda, a reportagem de Priscila Rangel mostrando que os serviços bancários ocupam o primeiro lugar nas reclamações e como a pessoa deve procurar um Procon para encaminhar a denúncia.

No Trocando em Miúdo, a prosa é sobre a previsão de recolhimento de impostos, acima de um trilhão de reais somente na primeira metade deste ano, com o destaque de que 37,5% deles saem de São Paulo.

CQCS

Share