Quanto custa segurar carros especiais

Porsche Cayenne Gts
Share

Quanto custa segurar carros especiais em que o conserto de um retrovisor pode chegar aos 25 000 reais

Ferrari 612 Scaglietti é um dos modelos mais caros da montadora italiana. No Brasil, ela custa 1,9 milhão de reais. E na hora de fazer o seguro? A Scaglietti é a apólice mais cara para um automóvel à venda no país: 70 000 reais, sem falar de uma franquia de 114 000 reais, se oferecer baixo risco, ou seja, se for um homem com mais de 35 anos, casado e com filhos que não dirigem, que tenha garagem em casa e no trabalho.

Se esse seguro estiver salgado demais, sempre é possível optar por um Porsche Cayenne Turbo, que custa 556 000 reais e pode ficar protegido por 17 600 reais. A franquia do Cayenne vai ficar em 33 500 reais. Se a opção for algo mais requintado, no caso um Maserati Quattroporte, que custa cerca de 750 000 reais, o motorista terá de desembolsar 25 500 reais para ter direito à franquia de 40 000 reais.

Maserati Quattroporte

Maserati Quattroporte

Como explicar que uma franquia seja equivalente a um apartamento? Além do preço do veículo, as seguradoras analisam itens como a utilização do bem, a residência do cliente, a frequência de furtos de modelos semelhantes, a frequência das colisões e o valor das peças de reposição. Esportivos como a Ferrari, que instigam muito motorista a passar dos 200 km/h, estão mais sujeitos a acidentes e, por isso, suas apólices são mais caras. “Quem escolhe um modelo mais sofisticado e clássico, como um Bentley, em geral é mais tranquilo, por isso o seguro fica mais barato”, diz Anderson Tonhato, da Stremo Consultoria.

Quem compra uma Ferrari gosta de andar depressa, o que aumenta o risco da seguradora. Mais um detalhe ajuda a explicar por que esses custos são tão elevados. Além desses critérios, a facilidade ou não de obter peças de reposição também influi, e bastante, no preço do seguro. Por isso, as apólices de modelos mais recentes da Ferrari são mais baratas que as dos anteriores. “Encontrar peças de reposição de modelos mais antigos, que às vezes já não são mais fabricados pela montadora no país de origem, é difícil, daí o preço ser mais alto”, diz Tonhato. Seguradoras e oficinas especializadas têm de empatar capital deixando peças em estoque às vezes por anos, o que consome investimento e afeta os preços dos serviços e dos seguros.

Com tantas particularidades, nem todas as seguradoras têm disposição para subscrever essas apólices, por isso é bom tomar cuidado se seu carro estiver em uma faixa de preço mais alta. E o valor de tabela nem precisa chegar aos milhões de dólares. “Se a empresa não está acostumada a atender esse tipo de sinistro, o cliente pode ter problemas futuros”, diz Tonhato. A troca de um espelho de uma Ferrari pode chegar a 25 000 reais, dependendo do serviço.

Além de vidros e peças mecânicas, os carros mais sofisticados são autênticos laboratórios de informática sobre rodas. Quase todas as funções, desde a regulagem da temperatura interna até funções de localização geográfica, são realizadas por vários computadores.

Isso demanda profissionais capacitados em eletrônica para trocar um chip ou reparar um botão que tenha parado de funcionar, algo que pode comprometer o funcionamento do veículo. Vistoria em alto estilo Essas são as exigências dos carros, mas seus proprietários também provocam cuidado redobrado das seguradoras. São clientes exigentes que pagam caro pela segurança, cobram serviços específicos e atendimento personalizado. “Quem tem um modelo de alto luxo é uma pessoa de alta renda e acostumada a tratamento diferenciado”, diz Priscila Magni, superintendente da Chubb Seguradora.

Mesmo procedimentos simples, como a vistoria na hora de contratar o seguro, são estudados para não melindrar o cliente. “Muitos não permitem sequer que o profissional que vai fazer a vistoria toque o carro”, diz Priscila. “Por isso os técnicos fazem apenas uma visita por dia, para não chegarem ao local suados e provocarem reclamações dos clientes.”

Os pacotes de serviço para esses clientes vão muito além da assistência básica e incluem até reservas em hotéis e companhias aéreas, ingressos para peças e shows, além de outros benefícios. Os diferenciais passam também pelas ocorrências comuns. Um cliente parado em uma avenida com o capô de seu Maserati levantado é um alvo fácil, por isso os serviços de reboque ou transporte do segurado não podem demorar.

Tudo muito glamouroso, mas Ferrari, Porsche e Maserati não são assim tão comuns. Já modelos que custam ao redor de 120 000 reais são vistos circulando cada vez mais frequentemente, e suas apólices podem chegar a vários milhares de reais. Para diminuir essa fatura, valem as mesmas recomendações de modelos mais baratos. Elevar o valor da franquia reduz o prêmio a pagar, e investir em equipamentos de localização e rastreamento também ajuda na hora de comprar a proteção.

Fonte: quatrorodas.abril.com.br

 

Share