Seguradoras reservam US$ 300 milhões para consequências do acidente da Germanwings

Share

Segundo as investigações, copiloto Andreas Lubitz deliberadamente derrubou Airbus com 150 pessoas a bordo

O consórcio de seguradoras liderado pela alemã Allianz reservou 300 milhões de dólares para enfrentar as consequências da tragédia do Airbus A320 da Germanwings, anunciou à AFP o grupo Lufthansa.

“Posso confirmar que 300 milhões de dólares foram colocados como provisão para enfrentar os possíveis processos por danos e prejuízos das famílias das vítimas do avião que caiu na semana passada”, afirmou uma fonte da Lufthansa, casa matriz da Germanwings, confirmando assim informações do jornal Handelsblatt.

Segundo a publicação, as indenizações pagas no caso de acidente aéreo geralmente chegam a um milhão de euros por passageiro, mas por questões jurídicas a presença de americanos entre as 150 vítimas fatais pode resultar em um valor maior.

O avião tinha seguro de 6,5 milhões de dólares, segundo o jornal econômico.

A Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS), filial da seguradora alemã Allianz, especializada em gestão de riscos de grandes grupos, é a principal seguradora da Germanwings.

As 150 mortes provocadas pela tragédia aérea nos Alpes franceses serão indenizadas pelas seguradoras, mesmo se o acidente foi provocado de maneira deliberada, afirmaram à AFP fontes próximas ao caso.

Andreas Lubitz, copiloto do avião da Germanwings, que voava entre Barcelona e Dusseldorf, se trancou na cabine, aproveitando uma breve ausência do comandante. Ele é suspeito de ter provocado a queda deliberada do avião contra as montanhas, segundo a justiça francesa, com base nas gravações de áudio registrada por uma caixa-preta.

Fonte: Istoé

 

Share