Ações do Magazine Luiza disparam com rumor de renovação com seguradora

Share

SÃO PAULO – Silenciosamente, as ações da Magazine Luiza (MGLU3), que renovaram a mínima histórica na última sexta-feira, dispararam 21% nos últimos dois pregões, pegando muitos vendidos “de calças curtas”. O papel era um dos mais demandados nas mesas de aluguel das corretoras, com 14,4% das ações em circulação no mercado emprestadas no fechamento de ontem.

O motivo da alta são rumores sobre renovação de acordo com a Cardif para exploração de garantia estendida e seguros massificados na empresa, que venceria em dezembro deste ano. A operação poderia adicionar de R$ 300 milhões a R$ 400 milhões no caixa da varejista, estima o analista Luiz Cesta, da Votorantim Corretora, em relatório divulgado na segunda-feira a clientes. Ele acredita que o acordo deve sair antes do final do ano.

Às 11h38 (horário de Brasília), as ações da Magazine Luiza disparavam 6,91% na Bolsa, a R$ 2,94. O desempenho ocorre depois de uma queda de 56% dos papéis de 6 de maio até a última sexta-feira, 17.

Segundo Cesta, o acordo representaria uma injeção de caixa (considerando os R$ 300 milhões) de 69% do valor de mercado da companhia. Ele já estimava na segunda-feira uma substancial volatilidade nas ações da companhia devido ao elevado interesse “short” no papel. Atualmente, 7,6 milhões de ações estão alugadas, segundo fechamento de ontem.

Ontem, analistas do Deutsche Bank falaram com o CFO da varejista. Em relatório de segunda-feira, eles também escreveram sobre uma potencial renovação do contrato com a Cardif, que na opinião deles, poderia gerar de R$ 120 milhões a R$ 200 milhões de caixa nos próximos meses e deve ocorrer no segundo semestre deste ano. Eles, no entanto, não deixam claro se essa disparada recente tem relação com essa possibilidade de renovação do acordo, apontando que a recuperação veio depois de uma forte queda na Bolsa. No ano, os papéis da companhia acumulam desvalorização de 65%.

CQCS

Share