Após assediar cliente por WhatsApp, funcionário da Net é demitido

Foto Ilustrativa
Share

O funcionário da Net que se aproveitou dos dados cadastrais para assediar uma cliente pelo WhatsApp já foi identificado e demitido, segundo comunicado da empresa divulgado na noite desta quinta-feira (28). O rapaz –que teve o nome preservado– também vai responder judicialmente pela ação.

O caso veio à tona após a jornalista Ana Prado fazer a denúncia em seu Facebook. Segundo a jovem, o funcionário ligou para ela na parte da manhã para oferecer um pacote promocional da empresa. Não interessada na oferta, a paulista disse ter agradecido e desligado o telefone. Na sequência, ela foi surpreendida com uma mensagem do mesmo rapaz pelo WhatsApp.

Na conversa, ele chegou a confirmar ser funcionário da Net, ter acesso a todas as informações dos clientes, mas se recusou a deletar o número da paulista e ainda a desafiou a processá-lo.

Funcionário da Net usa dados cadastrais para assediar cliente por WhatsApp

Funcionário da Net usa dados cadastrais para assediar cliente por WhatsApp

Em nota, a empresa disse que “o colaborador envolvido foi identificado e desligado”, além de ter informado que registrou um Boletim de Ocorrência na polícia, “a fim de que o fato seja apurado na esfera criminal”.

A Net voltou a reforçar que “tomará todas as medidas cabíveis para apurar, identificar e afastar sumariamente qualquer colaborador ou prestador de serviço que faça uso indevido de informações pessoais, confidenciais e sigilosas dos clientes”.

“Cumpre ainda esclarecer a todos os nossos clientes que tratamos suas informações pessoais com as mais rigorosas práticas e políticas de proteção ao sigilo. Todos os prestadores de serviços da companhia estão obrigados contratualmente a assegurar a proteção dos dados dos consumidores e são proibidos de utilizar estas informações para qualquer outro fim. Também ficam cientes das sanções contratuais, cíveis e criminais aplicáveis em caso de descumprimento”, concluiu o comunicado.

Não é um caso isolado
A partir da repercussão dessa história, outros casos de assédio foram descobertos. A maior parte dos clientes descreve cantadas ou tentativas de manter contato, mas há relatos em que o assédio vai mais longe, como conta a BBC Brasil.

UOL

Share